Recorte 2

Recorte2
Uma flauta doce enjoada faz fundo musical para a voz do pastor no rádio. Minha tia Rosa escuta sem prestar atenção, mas de vez em vez sussurra um “glória” enquanto ela prepara o jantar. A ajudo por pura obrigação. Mentira, a ajudo por escolha minha. Eu que quis ignorar as mensagens de meus amigos me convidando para sair de casa. Não, ainda prefiro a clausura e o sermão do pastor a sair na rua. Enquanto estou trancada aqui parece que o tempo não passa de verdade, parece que não estou vivendo, só ensaiando. Assim que o sol bater em minha pele de novo, vai ser real. Quando os fogos do ano novo estourarem, vai ser real. Eu vou estar solteira. Eu vou estar triste.

Anúncios