Recorte 5

Recorte-5
Abro uma gaveta e encontro um guardanapo de bar que sobreviveu ao incêndio em que consumi as coisas que Luís me deu. Nele há uma canção rabiscada de tempos que eu ouso chamar de felizes.

Adoro você

Adoro você do seu pé até o vocabulário

Tritão do querer, seu jeito de profanar escapulários

Rei do prazer. Me olha, me torna seu criado

Me faz morrer no seu corpo de monstro encantado

Adoro você. Liberta tudo que é pecado

Venha me-ter. Então deixa de ser otário!

Ele não deixou de ser otário, mas a rima continua sendo boa. Não faz mal eu guardar esse papelzinho.

Anúncios