Recorte 45

Recorte-47

Um novo amor é o mais bruto dos cristais. Há que descer o martelo e a estaca, limar as arestas e, com porradas, endireitá-lo até que ele caiba como um delicado brilhante na prisão que o anel de noivado traz. Um novo amor tem que ser lixado e trabalhado até que brilhe na sintonia procurada. O amor tem que se moldar as vontades e aos pesos, aguentar os impactos e resistir para que seja ainda mais bonito. Bela é a joia em que ouro e pedra são uma coisa só. O novo amor tem que ser enfeitado para que valha a pena, tem que abrir mão de sua consistência, tem que ver sua pedra bruta esfarelar-se em purpurina brilhante sem nunca reclamar, sempre esperando o amanhã quando o encaixe será perfeito. Amor é ourivesaria para poucos.

Anúncios